BALLERINA

SANDRA LOLIS

A dança? Não é movimento,
súbito gesto musical
É concentração, num momento,
da humana graça natural.

No solo não, no éter pairamos,
nele amaríamos ficar.
A dança – não vento nos ramos:
seiva, força, perene estar.

Um estar entre céu e chão,
novo domínio conquistado,
onde busque nossa paixão
libertar-se por todo lado…

Onde a alma possa descrever
suas mais divinas parábolas
sem fugir a forma do ser,
por sobre o mistério das fábulas.

Carlos Drummond de Andrade

A bailarina desse post se chama Talita, e apesar da pouca idade, é pra mim, um exemplo de como a vida deve ser vivida, e de como devemos perseguir nossos ideais.

 Talita é bailarina, mas pode ser o que quiser, pois nasceu pra brilhar.

Te amo, Tatá!

ARRAIÁ DA CLAUDINHA

Meu sábado foi bem cheio, dois casamento num dia só, sô!

Este foi o Arraiá da Claudinha, que cumemorô anos no dia dos enamorado, intão cumpadre Paulo e cumadre Carolina, resorvero, mais cumpadi Godinho, organizá uma festa surpresa. Tava bão dimais da conta, tinha curá, mio, bolo, minduin e inté pipoca. Todo mundo tava que era uma belezura só, uns tava cum ropa da missa, e otros cum ropa da lida memo, só num vi ninguem cum o tar do “traje à caráter” qui tava nu inconvite, tava todo mundo normá, quer dizer, pelo menos na vestimenta! Teve parabéns na hora que a cumadre Claudinha chegô, e ela tomô um baita de um susto…dispois teve o casamento, a quadria, e inté bolo de festa. Foi bão dimais participá de uma festa tão alegre e colorida como essa. Parabéns à todos, e especiarmente à minha querida prima Claudinha.